segunda-feira, 10 de março de 2014

Manual de sobrevivência da Nova Era

 
 
Manual de sobrevivência da Nova Era
:: Vera Helena Tanze ::

Meus amigos,
Recebo tantos e-mails me perguntando sobre o que fazer com as reações do “despertar”, com as dificuldades que se avolumam, as máscaras que caem, os filhos índigos, portais e outras questões relevantes. Com certeza temos que ter ciência destas coisas, mas não podemos nos esquecer do básico e penso que estamos deixando passar a grande dica, que está na observação das coisas simples do dia-a-dia.

Vamos pensar juntos:
Quando a questão são as crianças, índigo ou não - em geral nossos filhos - temos um grande exemplo de como exercitar a PACIÊNCIA, que nada mais é, do que a “ciência da Paz”. Vocês têm paciência, tolerância com o próximo? Isso é fundamental para a evolução. Não somos melhores do que ninguém, nem sabemos mais. Por acaso, podemos ter tido mais vontade em despertar, o que não nos torna mais evoluídos. Eu citei as crianças, mas e os idosos que fazem parte de nossa vida, os deficientes e alguém que nos incomode de alguma forma?

Outra questão tola e cotidiana é sobre como rezamos, como pedimos.
Eu - como advogada - ao peticionar, faço uma explanação do caso com base nos fatos e na lei e peço o quê é de direito. A lei será cumprida (ou pelo menos em tese deveria ser). Na vida é a mesma coisa quando oramos. Entretanto, ao fazer o pedido nunca devemos projetá-lo no futuro, mas, como faria um advogado, agradecendo de antemão o cumprimento da justiça. É isso que devemos pedir: justiça. Para merecer, devemos ter ética em nossos atos; estamos falando das leis universais, básicas. Também é fato, e a neurolingüistica prova, que pedir no tempo futuro, para amanhã, está errado. O correto é pedir para já, agradecendo a graça alcançada, pois fora da terceira dimensão, não há tempo, tudo apenas É, simplesmente É. Por esta razão, ao pensarmos em passar para a próxima etapa evolutiva, devemos pensar se estamos realmente nos preparando para pensar e construir. Sim, pois daqui pra frente o que mentalizarmos será feito, seja o bem ou o mal. Talvez por esta razão o mal esteja em vantagem: porque não sabemos ser co-criadores, não sabemos usar ética nas petições, nem focar o que é justo e correto.

Será por acaso que nossa maior busca - a FELICIDADE - contenha a palavrinha mágica FÉ? Pra mim, esta palavra (felicidade) mostra que para o Universo, que é composto de sons, tendo FÉ, não há IDADE para ser feliz... não existem limites para nossos sonhos.
Outra regrinha básica é PERDOAR, que, jogando novamente com os citados sons universais, penso nos indique ser exatamente para isso que estamos aqui: PARA DOAR.
Mas doar o quê? Em primeiríssimo lugar está a doação de nós mesmos, em um dos atos mais difíceis que serve de entrave à evolução, que é o ato de perdoar. Assim, vemos que cada elo se encerra em si mesmo, voltando ao início da questão.
Claro que são parte integrante deste conjunto vários outros aspectos importantes, como também o julgamento. Quando apontamos um dedo para alguém, três dedos se voltam contra nós. Seria acaso também? Claro que não! Apontar o indicador e fechar os outros três dedos é a figura simbólica de uma arma e muito poderosa, que destrói em massa, em efeito dominó...

A campanha de desarmamento deveria ser feita nas mentes, nos atos, nas palavras, na inveja, no ódio e até nas omissões. Estas seguramente podem ser consideradas as piores armas.
Pessoal, não adianta bater no peito e dizer: “coitadinho de mim!” Esqueçam isso!! Digo por experiência própria.
Eu que canalizo desde criança, quando entro nessa energia, não recebo nem mais um “oi” de lá de cima... mas em compensação... do astral inferior vem uma enxurrada de falsas mensagens, que jogo fora, furiosa comigo. Aí outra questão dentro do poderoso instrumento que é o perdão: perdoem-se, libertem-se da carga extra senão não vão levantar vôo.

Depois de ter feito uma “faxina” interna, aí sim, podem e devem receber Reiki, ajudar em centros de ajuda e realizar inteligente ações externas de qualquer modo, mas, lembrem-se de que sem ética e profundo compromisso interno, não há evolução por mais que se pratique externamente.

Quando O Comandante Ashtar me disse - aos seis anos de idade - que eu podia “Ajudar a salvar o mundo”, eu achei que Ele fazia parte de algum sonho, de uma peça de ficção esquisita! Mas me enganei. Ele É O Arcanjo Miguel, em função diferente, com missão de resgatar nosso planeta. Imaginem o trabalhão que representa transmitir a cada criança, que ela pode ajudar o planeta! E esperar que um dia ela entenda e desperte para os “sinais” que virão... Sim, Ele É um anjo MESMO, com uma PACIÊNCIA enorme!!

Levei minha vida inteira pra entender e só o fiz através de meu filho, como já lhes contei. Claro, se cada ser humano acreditar, acordar e investir na reforma íntima, muito provavelmente o trabalho será bem mais fácil. Infelizmente não é o que está ocorrendo. As pessoas continuam tão PRÉ-OCUPADAS com seus próprios mundinhos, suas dores, que se esquecem do porquê encarnaram neste momento tão importante e extraordinário.
Aprendi - ao longo desses anos - que a vida é uma ilusão, de verdade. Experimentem criar uma imagem mental e fixem-se nela todos os dias por 15 minutos. Muito provavelmente algo se precipitará. É o que o “Pró-Vida” e outros cursos de uso da mente chamam de tela mental.
Vocês acham que se tudo estivesse realmente escrito, isso seria possível? Claro que não!
Meus amigos, eu estou escrevendo um artigo tão banal, não é? Mas, sem isso, nada vai funcionar. Talvez vocês pensem que, como eu canalizo a partir de seres mais evoluídos, eu não tenha problemas, que não me desespere, que não fique sem rezar. Mas não é assim. É difícil agir com absoluta perseverança e determinação neste mundo. Mais difícil é não se envolver com diferentes e desgastantes situações rotineiras.

Mas, por algum motivo me escolheram para enviar informações, através de canalizações, visões, telepatias, intuições e outras formas de contato. Foi muito difícil para aquela menininha crescer, lembrar, entender e se adaptar ao meio, sendo que eu sempre vi, ouvi, senti e soube de muitas coisas que ninguém compreendia e nem acreditava, a começar pelos membros de minha família. Por isso, o que estou lhes escrevendo é muito sincero e eu mesma fui minha cobaia, aliás, ainda sou...
Como eu sempre digo: quem mora em São Paulo e tem ex-marido, não pode ser muito equilibrada!!!

Tenho aprendido muito com esta troca com vocês por e-mails.
Obrigada por terem entrado na minha vida!
Eu não sei o que será do meu amanhã, o do nosso site ou até o do planeta, mas, esta oportunidade de interagir com vocês, está me ajudando muito em meu crescimento, em minha visão do mundo.

Um beijo em cada coração!
Muita luz!

fonte: http://www.sol777.net/ArtigosVera/manualdesobrevivencia.htm

 
 
O amor que remove montanhas,
o amor que inspira a todos a desejarem um mundo melhor,
o ser humano que ama a todos como a si mesmo,
e que deseja apenas ser  . . . ser luz  e finalmente
 encontrar  o Reino de Deus
em seu coração !!!
 
Irene Ibelli 
Empreendedora Digital, Humanista e Espiritualista
Eleita Cidadã Planetária Pelo Projeto
Vôo da Águia

Um comentário:

  1. Estou a gostar muito de aprender por aqui...obrigada!
    Maria Terra

    ResponderExcluir